Páginas

11 março 2013

Melan.colia.

       
           Sozinha na exposição, quase a tarde toda, devido a faltas dos companheiros que ainda não chegaram. Caminho canto a canto, percorrendo todas as obras, com passos inseguros, como quem não pisa em território conhecido.
Olho para todos os lados, para cima, para baixo a procura do que fiz e do que ainda terei de fazer. Penso tanto na minha vida.
Gosto amargo, sim. Gosto amargo dos sonhos de uma iludida romântica.
Contudo, o sol esplendoroso de março invade todo o espaço no final da tarde, tingindo o mesmo de ouro e violeta. Olho as piscinas através dos vidros, as crianças que correm lá embaixo, a grande represa, lá longe, mesclada de verde e azul,  e todas aquelas árvores que balançam com a brisa do ventinho que passa. Olho mais uma vez tudo aquilo, e evidentemente todo aquele conjunto e adormeço no sonho. Para que ele me ajude e que não acabe também a se corromper: a minha imediata obrigação, era sonhar, apenas.


                      

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...